Candidíase e seus maiores mitos

Candidíase e seus maiores mitos. A Cândida Albicans é sempre ruim? Ela só ataca sistemas imunológicos enfraquecidos? Ela precisa de um ambiente sempre ácido pra sobreviver? Ela precisa ser completamente eliminada do seu corpo para você voltar a se sentir bem? Bem, não é bem assim…

Existem muitas perspectivas diferentes sobre o complexo relacionado à Cândida. Além disso, existe o fato de que muitos médicos ainda desconhecem os desequilíbrios intestinais causados pela Cândida Albicans, o que pode levar a uma divergência de informações.

Nesta artigo você verá os maiores e principais mitos sobre candidíase e que não são necessariamente verdades. Confira abaixo os mitos e suas explicações para desmitificar de uma vez por todas!

Mito # 1: Cândida só afeta pessoas com sistema imunológico enfraquecido

Quase 100% dos médicos tradicionais irão dizer que a candidíase só pode acontecer em paciente imunocomprometidos, o que significa que são pessoas com imunidade baixa, portanto, as outras pessoas não tem porque se preocupar. Será?

Isso não é totalmente verdade! Vamos primeiro examinar de onde esse mal-entendido vem e, em seguida, explico porque a Cândida ainda pode afetar pessoas com sistemas imunológicos relativamente saudáveis.

Existem muitos estudos que analisaram as infecções patógenas de Cândida Albicans. Mas muitos desses estudos acontecem dentro de um ambiente hospitalar e analisam especificamente uma condição de risco de vida chamada de candidemia. Isso ocorre quando o fungo  da Cândida entra na corrente sanguínea e se espalha rapidamente em seu corpo.

A candidemia é uma condição muito séria, mas também é muito rara. Isso acontece em pacientes cujo sistema imunológico está gravemente comprometido. Isso pode ser um paciente com câncer submetido a quimioterapia, ou alguém com HIV, por exemplo.

Mas, a Cândida pode sim se infestar em uma pessoa que não esteja imunocomprometida, mas esteja experimentando algum desequilíbrio em sua flora intestinal.

Mito # 2: infecções por fungo só acontecem na pele

Quando as pessoas falam sobre infecções fúngicas, na maioria das vezes estão se referindo a infecções vaginais por fungo ou candidíase vaginal. Mas a verdade é que o crescimento excessivo da Cândida pode afetar tanto homens quanto mulheres sem causar sintomas externos.

Na verdade, a candidíase no intestino são mais recorrentes do que as infecções fúngicas na pele. A Cândida albicans é um agente patogênico que se aproveita do desequilíbrio dos micro-organismos no intestino.

Este equilíbrio da “flora intestinal” é extremamente importante para o fortalecimento do seu sistema imunológico e da sua saúde digestiva, mas pode ser facilmente desestabilizado em momentos de estresse ou após ingerir antibióticos.

Quando entra em desequilíbrio, as colônias de Cândida Albicans podem se expandir rapidamente até infestar uma grande parte do seu intestino.

Cerca de 80% das pessoas tem Cândida Albicans no corpo, mas isso geralmente não é um problema!

Trata-se de um organismo incrivelmente resiliente, e eliminá-lo completamente é quase impossível. Geralmente, só se torna um problema quando ele se transforma na sua forma patogênica de fungo.

Para manter a Cândida sob controle você só precisa evitar que ele mude para sua forma fúngica. Para isso basta manter seu sistema imunológico em dia e isso só é possível com uma dieta equilibrada e saudável baixa em açúcares e tomando probióticos e antifúngicos que irão manter o equilíbrio da sua flora intestinal.

Se você tem uma infecção por fungo externa ou candidíase vaginal, lembre-se de que eles estão frequentemente relacionados a um crescimento excessivo da Cândida dentro do seu intestino. Então o tratamento deve ser exatamente o mesmo que indico no Operação Candidíase. Confira!

Mito # 3: Cândida precisa de um pH ácido para sobreviver

Algumas pessoas falam que as dietas alcalinas podem melhorar a sua saúde, e muito disso faz sentido. A maioria de nós consome muitos alimentos acidificantes na dieta. Portanto, comer mais alimentos alcalinos (como vegetais e frutas com baixo teor de açúcar) é uma ótima maneira de melhorar sua saúde.

No entanto, quando se fala em candidíase você deve pensar melhor sobre isso. Este organismo patogênico é incrivelmente adaptável e, de fato, pode sobreviver em ambientes ácidos e alcalinos.

Em ambientes ácidos, é um fermento que cresce de forma lenta. Já em ambientes alcalinos, ele se transforma em fungo e é aí que mora o perigo. É na forma de fungo que ele desenvolve longos filamentos, conhecidos como hifas (biofilmes), que se espalham rapidamente pelo intestino e enfraquecem suas paredes intestinais.

Em outras palavras, um ambiente alcalino em seu intestino é ruim para você. Tornar seu intestino mais alcalino pode contribuir para o desenvolvimento da Cândida fúngica. É por isso que alguns remédios para candidíase, como por exemplo bebidas com bicarbonato de sódio, são péssimas ideias.

Essa confusão se dá pelo fato de que diferentes partes do seu corpo têm diferentes níveis de pH. Uma pessoa saudável terá um ambiente ácido no estômago e nos intestinos e um pH ligeiramente alcalino no sangue (7,4). Os tecidos do corpo também serão ligeiramente alcalinos.

Isso significa que você deve evitar consumir carnes vermelhas, pois produzem amônia alcalina quando são digeridas no intestino. Fique longe de comidas processadas e coma muitos vegetais! Ao longo do tempo, uma dieta saudável e equilibrada ajudará a restaurar o pH correto em todas as áreas do seu corpo.

Mito # 4: Você precisa eliminar Cândida Albicans para se sentir melhor

Eu já mencionei em outros artigos que a Cândida albicans já existe no intestino quer você queira ou não e não há nada que você possa fazer sobe isso. Podemos até ter vários outros tipos de bactérias e fungos lá também.

Mas calma, porque não tem nada demais nisso, aliás é completamente normal isso acontecer. O que não é normal é permitir que ocorra algum desequilíbrio no seu corpo, alterando o pH e fazendo com que esses micro-organismos se tornem patógenos e cresçam deliberadamente no seu intestino.

Por isso que é uma ideia utópica acreditar que você irá eliminar todas as células de Cândida do seu sistema. Até porque seria um tratamento muito traumático, restritivo e que iria levar a prejuízos na sua flora intestinal. Por isso que, ter uma pequena população de Cândida albicans no intestino não é necessariamente um coisa ruim.

Quando a Cândida começa a sair do controle, é porque mudou para sua forma de fungo. Portanto, um dos principais objetivos de um plano de tratamento de candidíase é reverter isso. Isso significa limitar a quantidade de açúcar disponível para as colônias de Cândida e manter um ambiente saudável e ácido em seus intestinos.

Outra estratégia realmente importante é fortalecer seu sistema imunológico. Adicionar bactérias probióticas no seu intestino pode ajudar nisso. Ao restaurar o equilíbrio de micro-organismos e regular o nível de pH, você pode ajudar seu sistema imunológico a manter a Cândida sob controle.

Além disso, a alimentação tem tudo a ver com esse processo de controlar os níveis de células da Cândida no seu corpo, no e-book Operação Candidíase você encontra o passo a passo completo para voltar a ter uma vida sadia e feliz, confira!

Leave a Reply

Your email address will not be published.