blister de comprimidos branco

Candidíase e pílula anticoncepcional podem estar relacionadas? Embora o contraceptivo oral moderno para mulheres possa trazer alguns benefícios, como evitar a gravidez indesejada, aumentar o desejo sexual, etc, vem com algumas desvantagens.

Nas últimas décadas, pesquisadores descobriram que um desses pode ser um risco aumentado de desenvolver infecções por Cândida Albicans.

Neste artigo vou falar um poucos sobre como a pílula anticoncepcional pode levar ao crescimento excessivo de Cândida e quais alternativas você pode considerar para evitar isso. Boa leitura!

Pílula anticoncepcional: entenda mais

Embora nos últimos anos tenham surgido novos medicamentos desenvolvidos que funcionem de forma diferente, a maioria das pílulas anticoncepcionais contém estrogênio e progestina. Isso significa que eles desequilibram os níveis de progesterona/estrogênio no corpo feminino.

Em uma mulher jovem e saudável, os níveis de progesterona e o estrogênio oscilam o tempo todo, subindo e caindo. Ambos os ciclos duram aproximadamente 28 dias. As pílulas anticoncepcionais interrompem essa oscilação dos hormônios, criando um aumento da quantidade de estrogênio com relação a progesterona.

Isso só pode levar a uma série de efeitos colaterais como aumento de peso, sensibilidade dos seios, e também candidíase.

Candidíase e pílula anticoncepcional

pessoa segurando blister de comprimidos

Como você provavelmente já sabe, todas as pessoas possuem a Cândida no organismo. Mas, quando estamos com o sistema imunológico fortalecido e uma alimentação equilibrada em dia, ela não apresenta problemas.

Entretanto, quando o corpo está debilitado com a imunidade baixa resultado de uma alimentação rica em açúcar, consumo de antibióticos e outros fatores, ela pode crescer e levar a sintomas desagradáveis.

Nas últimas décadas, a ciência descobriu uma conexão entre a predominância do estrogênio e o crescimento excessivo de Cândida.

A predominância do estrogênio é bastante comum em mulheres na faixa entre 35 a 50 anos quando acontece a menopausa. Por isso que, mulheres com mais de 35 anos que ingerem pílula anticoncepcional, o risco de crescimento excessivo de Cândida é ainda maior.

E isso ainda é agravado por desequilíbrios no estilo de vida. Um estudo da Universidade de Michigan recentemente sugeriu que o uso recorrente de pílula anticoncepcional aumenta duas vezes o risco de desenvolver candidíase.

Outras consequências do uso de pílulas anticoncepcionais

Os hormônios devem ser metabolizados pelas enzimas hepáticas e quando em excesso no organismo podem sobrecarregar o fígado e outros órgãos internos.

Eles também podem levar ao esgotamento de vitaminas B e magnésio. Essa falta de nutrientes somada a predominância e excesso de estrogênio no organismo coloca ainda mais pressão sobre o fígado. Assim, ele se torna incapaz de regular os níveis de homocisteína de forma eficiente.

A homocisteína quando não regularizada pode aumentar o risco de ataques cardíacos, acidentes vasculares cerebrais e mel de Alzheimer, dentre outras doenças. Uma pesquisa identificou aumentos significativos na quantidade de homocisteína naquelas mulheres que tomaram pílula anticoncepcional.

Uma das chaves para evitar esse problema é, incluir na dieta, alguns suplementos que podem dar apoio ao fígado como  molibdênio e cardo de leite. No meu livro Operação Candidíase, você encontra o plano de tratamento completo.

Outras alternativas de contracepção

mulher segurando DIU

Quando falamos de contracepção, a escolha é, obviamente, muito pessoal. No entanto, você deve se certificar de que está totalmente informada antes sobre todas as alternativas antes de tomar qualquer decisão.

Falar com seu médico ginecologista é uma ótima maneira para se informar sobre todas alternativas. Todos os anticoncepcionais orais vêm com alguns riscos e efeitos colaterais.

Para aquelas que não querem arriscar as possíveis complicações de saúde que vêm atreladas às pílulas, elas podem optar por métodos de contracepção diferentes como o preservativo masculino tradicional, o preservativo feminino, o diafragma ou DIU. Nenhuma dessas alternativas trazem os mesmos riscos que os anticoncepcionais orais e, portanto,podem ser boas escolhas.

Se você quiser manter o uso de contraceptivo oral, mas está sofrendo infecções leves, considere mudar para uma pílula que tenha somente progestina. A progesterona tem menos chance de causar desequilíbrios que levam a candidíase.

Faça uma faxina no seu fígado 

mulher deitada descansando

Mulheres que usaram anticoncepcionais orais por vários meses e, principalmente anos, precisam considerar interromper o uso por um tempo para fazer uma limpeza no fígado.

Os hormônios são metabolizados através do fígado. Para dar mais reforço para o seu fígado você pode ingerir alimentos ricos em magnésio e vitamina B. Esses nutrientes ajudam a reduzir inflamações, ajudam na desintoxicação e na cicatrização.

Coma vegetais como brócolis, couves de Bruxelas e couve-flor e tome um suplemento chamado cardo de leite para dar um reforço para seu fígado.

Lembre-se de que seu corpo sempre está se esforçando para manter a saúde em dia. Muitas vezes nós fazemos coisas, inconscientemente, que perturbam seu estado saudável. Para muitas mulheres, isso pode incluir o uso de pílulas anticoncepcionais. Conhecer suas opções e outras alternativas pode ser uma forma de se manter saudável e se livrar da candidíase.

Um plano de tratamento completo para combater candidíase você encontra no livro Operação Candidíase. Lá você encontra explicações sobre a Cândida Albicans, causas e sintomas da doenças.

Além disso, você pode consultar uma lista de alimentos aliados e inimigos, bem como os melhores antifúngicos e probióticos para incluir na dieta.

Leave a Reply

Your email address will not be published.